CASA DO POVO

CASA DO POVO

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Em live, Bolsonaro diz que Doria ‘mamou’ em governos do PT


O presidente Jair Bolsonaro em transmissão ao vivo pelas redes sociais
Em sua “live” desta quinta (29), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) alfinetou o governador de São Paulo, Joã
o Doria (PSDB), e disse que ele “mamou” em governos do PT. “João Doria comprou também. Explica isso aí. Só peixe. Amigão do Lula, da Dilma. Eu vejo o Doria falando de vez em quando ‘minha bandeira jamais será vermelha’. É brincadeira! Quando estava mamando lá a bandeira era vermelha com um foiçasso e um martelo sem problema nenhum, né? Ihuuuu, tá ok?”, disse. Bolsonaro se referia à compra de um avião com empréstimo do BNDES por uma empresa de Doria. A empresa Doria Administração de Bens, do governador paulista, é uma das 134 citadas na lista divulgada pelo BDES, com um empréstimo de R$ 44 milhões. Ao todo, as companhias tomaram R$ 1,9 bilhão em juros subsidiados para a compra de jatos executivos. Bolsonaro também criticou Luciano Huck. Por meio da empresa Brisair, empresa da qual é sócio junto com Angélica Huck, o apresentador pegou R$ 17,7 milhões com o BNDES em 2013 por meio do Finame (Financiamento de Máquinas e Equipamentos). “Já apareceu aquela galerinha da compra de aviões com 3, 3,5% [de juros] ao ano. Que teta, hein? O que é isso, Luciano Huck?”, disse o presidente durante a live. Não há indícios de ilegalidades nos empréstimos tomados por Doria e Huck, o que Bolsonaro reconheceu no vídeo. Por meio de nota, o Palácio dos Bandeirantes descartou qualquer problema com as operações da empresa do governador paulista junto ao BNDES. “A Embraer vendeu mais de 135 jatos executivos e comerciais para empresas brasileiras e estrangeiras com financiamento do BNDES, gerando empregos e impostos para o Brasil. Nada de errado nisto.” Quando da divulgação da lista, Doria, em postagem nas redes sociais, classificou como “oportunismo” a associação de empréstimo tomado por sua empresa a “algo errado”. Já Luciano Huck disse, em texto enviado à coluna da Mônica Bergamo na semana passado, que o empréstimo que fez junto ao BNDES para comprar um avião foi “transparente, pago até o fim, sem atraso”.
Folhapress

Nenhum comentário:

Postar um comentário